top of page

Cogumelos Mágicos e a origem do Papai Noel

Atualizado: 19 de mai. de 2022

Existem várias histórias sobre a história do Natal, mas você sabia que diversos estudos apontam que sua origem vem de velhos costumes e crenças pagãs?


Muitas características do Natal, que comemoramos atualmente, apresentam vários símbolos das celebrações pagãs do solstício de inverno do hemisfério Norte, principalmente dentre os antigos povos da Sibéria.


Uma das teorias é de que o Papai Noel e seu trenó de renas voadoras pode ser explicado pelo cogumelo mágico Amanita Muscaria.

Papai Noel Amanita Muscaria
Arte por Reality Sandwich

O Papai Noel realmente entrava pela chaminé para entregar presentes?


De acordo com a teoria, a lenda do Papai Noel é derivada dos xamãs da Sibéria e de regiões do Ártico, que entregavam cogumelos sagrados como forma de presente no solstício de inverno, que acontecia em Dezembro.


"Como a história conta, até alguns milhares de anos atrás, esses padres e xamãs praticantes conectados as antigas tradições, coletavam Amanita Muscaria (o Cogumelo Sagrado), secavam eles e entregavam como presentes," Disse John Rush, um antropologista e instrutor na Faculdade de Sierra, em Roclin, Calif.


"Porque a neve normalmente bloqueava as portas, existia uma abertura no telhado pela qual as pessoas entravam e saíam, o que explica a história da chaminé."


Por que colocar presentes em baixo das árvores?

No livro "Mushrooms and Mankind" o autor James Arthur aponta que o cogumelo Amanita Muscaria vivia no Hemisfério Norte, logo abaixo dos pinheiros.


"Por que as pessoas trazem pinheiros para as suas casas no solstício de inverno, colocando pacotes vermelhos com branco, como presentes para demonstrar o amor um pelo outro... ?" escreveu Arthur.


"É porque, abaixo dos pinheiros é o local exato onde eram encontrados essa 'Mais Sagrada' substância, o Amanita Muscaria, na natureza."

As renas realmente voavam?

Renas são animais comuns na Sibéria e frequentemente buscavam por esses cogumelos. O Professor Donald Pfister, um biólogo que estuda fungos na Universidade de Harvard, sugere que os habitantes da tribo da Sibéria podem ter alucinado e pensado que as renas estavam voando.


"A princípio, parece ridículo, mas não é," disse Carl Ruck, um professor na Universidade de Boston.


"Entre os xamãs da Sibéria, você tem um espírito animal com o qual pode viajar na busca pela visão," Ruck continuou. "E renas são comuns e familiar para as pessoas na Sibéria Oriental."


Estudos apontam evidências de que os cogumelos eram consumidos durante a passagem do solstício de inverno, com a intenção de iluminar os espíritos durante o inverno escuro que se iniciava.


Fontes:



Comentarios


bottom of page